Após 1 década, o Youtube ainda não é lucrativo

por BIA GRANJA | 26 fevereiro 2015

youtubemoney_loading

Apesar de ter faturado 4 bilhões de dólares em 2014, o Youtube ainda não dá lucro. O faturamento aumentou em 1 bilhão de dólares de um ano pra outro, principalmente por conta da estratégia de vender antecipadamente pra marcas grandes presença nos top 5% dos vídeos que mais bombam e engajam no Youtube, mas o site ainda luta pra conseguir atingir o break even e dar dinheiro, reporta o Wall Street Journal. Depois de remunerar seus criadores e pagar a conta de servidores e toda a infra necessária pra manter o site no ar, praticamente não sobra nenhum dinheiro pra por no cofrinho.

No começo de 2014 eu escrevi um texto aqui no youPIX chamado “Vídeo é o futuro do mundo social, mas onde está o dinheiro?”. Eu me referia ao mercado de mídia brasileiro que tem 70% de sua verba concentrado na TV Globo, mas aparentemente, roubar dinheiro da televisão é um desafio mundial pro Youtube. Ano passado o Youtube lançou uma campanha de marketing mundial em que colocou alguns de seus principais creators em mobiliário urbano, TV, cinema e aviões, pra tentar mostrar que o site tem conteúdo foda (e com periodicidade), que é profissional e, principalmente, pra atrair o olhar dos anunciantes.

O que acontece que o Youtube, com uma audiência de 1 bilhão de usuários, não consegue ganhar dinheiro? A matéria aponta alguns motivos:

 

Clique pra continuar lendo

Sobre o polêmico vídeo do Cauê Moura: Youtube Teen

por BIA GRANJA | 24 fevereiro 2015

Dá o play aí antes da gente começar…

space_30

Ontem a noite me deparei com esse vídeo aí em cima do Cauê Moura descendo a letra na nova geração de youtubers que, ao invés de se preocupar em produzir um conteúdo foda, fica pagando de alegre com seus fã-clubes. Como se a fama fosse mais importante que o conteúdo e tal.

Eu também acho que existe muito estrelismo nesse mundo youtúbico. Como curadora de um evento que reúne e fomenta esse universo, já me vi em situações muito constrangedores envolvendo youtubers e seus egos. (DE QUEM VOCÊ TAVA FALANDO, CAUÊ??? ME CHAMA NA INBOX!)

Mas…

 

Clique pra continuar lendo

Qual o tamanho certo de todas as imagens de todas as redes sociais?

por BIA GRANJA | 23 fevereiro 2015

Screen Shot 2015-02-23 at 17.56.51

Eu achei esse infográfico aí embaixo na interwebz (já não lembro onde foi) e ia guardar só pra minha referência pessoal. Porém, contudo, todavia, me ocorreu que ele pode ser uma baita mão na roda pra todo mundo que precisa publicar coisas nas redes sociais e sempre tem dúvida sobre o tamanho de imagem que fica lindão em cada uma delas.

Pois aí está… salvem, favoritem e recorram a ele sempre que necessário. :)

Clique pra continuar lendo

Assista aos 101 maiores virais do Youtube dos últimos 10 anos

por BIA GRANJA | 22 fevereiro 2015

No dia 14 de fevereiro de 2005, o domínio youtube.com foi registrado por seus criadores. O 1o vídeo só foi postado em 23 de abril e tornado público em maio, data que a empresa considera como seu aniversário oficial. Faz 10 anos que o Youtube começou a quebrar paradigmas de diversas indústrias (audiovisual, fonográfico, do entretenimento, etc) e mudar a maneira como a gente consome e distribui conteúdo.

Foi graças a este que é o terceiro site mais visitado do mundo (só está atrás do Google, que comprou o YouTube por US$ 1.65 bilhão em 2006, e do Facebook) que tivemos acesso ao estranho e fascinante mundo dos vídeos das crianças sem noção, dos gatos adoráveis e de coreografias que, sim, já tentamos repetir em casa.

Pra dar um pontapé inicial nas comemorações da década youtúbica, o pessoal do The Daily Conversation fez uma compilação com os 101 vídeos virais mais marcantes da história do site e ainda conta mini-histórias sobre alguns deles. Não tem nenhum brasileiro, mas vale a viagem mesmo assim.

Pega um drink, relaxa aí no sofá e aperte o play… são 16 minutos de nostalgia! \o/

O interessante fenômeno dos Broadcast Jockeys da Coreia do Sul

por BIA GRANJA | 20 fevereiro 2015

Uma internet móvel rápida e ilimitada, um apetite voraz por tecnologia e o culto irrestrito as celebridades deram gás pro fenômeno dos BJs na Coreia do Sul

bj_coreiadosul

“A nossa geração não assiste mais tanta TV, a gente usa smartphones. É por isso que broadcasts na internet são mais assistidos”, diz o jovem sul-coreano quando perguntado sobre sua preferência em assistir BJs comendo ao vivo na interwebz, fenômeno cultural do país chamado mukbang (ou Meok-Bang).

Essa sigla BJ, que significa Broadcast Jockey, é maravilhosa. BJ é o novo VJ, obviamente muito mais adequado ao mundo das lives que se proliferam na internet em todas as áreas. Achei super adequado o nome BJ e a explicação do jovem sobre o motivo que torna a prática tão mais atraente pra sua geração. Como a internet móvel no país é absurdamente incrível e a mais rápida do mundo (enquanto a nossa é de 2,9MBps, a deles é de 24,6), assistir uma live no metrô ou transmitir do meio da rua é normal, é como estar na Campus Party com uma conexão giga que não cai nunca. Clique pra continuar lendo

Tumblr “Unidos da Dita Cuja” sugere outros sambas-enredo pra Beija Flor

por BIA GRANJA | 20 fevereiro 2015

Screen Shot 2015-02-20 at 12.14.53

Os 10 milhões de reais que a ditadura de Guiné Equatorial deu pra Beija Flor, campeã do Carnaval 2015, gerou uma das maiores polêmicas da semana de folia. O país, como se sabe, está há 35 anos sendo ~governado~ por Teodoro Obiang, um cara que deixa 70% da sua população vivendo abaixo da linha da pobreza, apesar de ser um grande produtor de petróleo e, well… ter 10 milhões de reais sobrando pra ajudar a folia dos outros ao invés de alimentar suas próprias crianças desnutridas.

O samba-enredo da Beija Flor, que tirou nota 10, foi totalmente baseado nessa realidade tosca e deixou muita gente revoltada. A internet está fazendo seus protestos e piadas e, no quesito Tumblr, acaba de tirar nota 10! O Unidos da Dita Cuja está reunindo sugestões de enredos e sambas pra escola usar no ano que vem. Tem música exaltando os feitos de Hitler, Darth Vader (!!!!), Papa Doc e outra sorte de ditadores à sua escolha. Olha aí: Clique pra continuar lendo

8 matérias que podiam ser do Sensacionalista mas que, acredite, são totalmente reais

por BIA GRANJA | 10 fevereiro 2015

Screen Shot 2015-02-10 at 14.44.06

Incrível a sinergia kármica da internet, né? Nem bem acabei de ler e digerir esse texto maravilhoso do El País sobre como o jornalismo hoje está produzindo conteúdo e criando pautas pra atender a lógica da viralização social – e nivelando a coisa toda por baixo, é claro -, e me cai no colo esse tumblr maravilhoso que tem tudo a ver com tudo: Não é Sensacionalista.

Dizia o texto do El País: “a viralidade, um antigo fenômeno amplificado agora na internet e utilizado com êxito em técnicas de marketing ou campanhas políticas, é a penúltima grande revolução que o jornalismo enfrenta, depois do naufrágio da publicidade”. Fazendo um diagnótisco matador da coisa toda, o autor do texto diz que hoje o importante já não é clicar na notícia, e sim compartilhá-la.

E pra conseguir que uma notícia seja compartilhada, usamos um título que busca despertar a curiosidade do cérebro do leitor, formatamos matérias em formato de lista ou simplesmente fazemos pautas tão absurdas que elas poderiam facilmente ser obra de sites como o Sensacionalista.

Podia ser o Sensacionalista, mas é apenas a ~mídia tradicional~ apelando: Clique pra continuar lendo

Mais self, menos selfie

por BIA GRANJA | 9 fevereiro 2015

A lógica das redes sociais de quantificar nosso sucesso através de likes e RTs nos faz perder a noção de quem realmente somos. Vivemos em função daquilo que outros atribuem a nós.

 imagem: NIK NEVES/ EDITORA GLOBO)

Coluna originalmente publicada na revista Galileu

 

Nos Estados Unidos existe uma expressão que não tem correspondente em português: o me time. Temos aqui o tal do “tempo para mim”, mas não acho que seja a tradução correta. Esse “tempo do eu” (em tradução mais do que livre) não tem tanto a ver com as horas do dia que sobram para fazer coisas pes­soais (ler aquele livro que estava parado no criado-mudo ou fazer o tratamento estético de que provavelmente você não precisa), mas sim com as horas do dia em que ficamos a sós conosco. Um tempo para curtir a solidão.

Hoje temos muito pouco “tempo do eu”. O mundo digital e suas demandas sociais fazem que nunca estejamos sozinhos. A lógica das redes sociais de quantificar nosso sucesso através de likes e RTs nos faz perder a noção de quem realmente somos. Vivemos em função daquilo que outros atribuem a nós. Se posto uma selfie no Instagram e recebo dez likes, isso constrói meu caráter e minha persona. Se ninguém curte o que posto, acho que tenho algum problema, que minha vida não é tão interessante ou que meus amigos não ligam para mim. A construção do que sou é muito mais coletiva do que pessoal.

A geração que nasceu nos anos 1980 talvez seja a última que sabe como é ter momentos de verdadeira solidão. Aqueles em que é possível decidirmos sozinhos o que achamos de nós mesmos, que são tão importantes e que tanta gente busca hoje em dia. O famoso “tempo do eu”. Clique pra continuar lendo

A opinião da blogosfera sobre o que aconteceu com a blogosfera

por BIA GRANJA | 6 fevereiro 2015

Os blogueiros tiveram que se reinventar. (…) Esses ~blogueiros sobreviventes~ tem hoje um outro tipo de posicionamento, principalmente frente aos anunciantes (que é quem paga a conta, neam?). Eles viraram referência dentro de nichos e temas específicos, são reconhecidos e influentes dentro de suas especialidades. Enquanto a fama mainstream ficou com os youtubers, assim como a audiência e, principalmente, o poder de trazer resultados impactantes pra ações de marcas“.

blogosferapostsblogosfera

Essa semana escrevi um texto aqui no youPIX questionando o papel dos blogs em um cenário onde o conteúdo em vídeo ganha cada vez mais audiência e, principalmente, a atenção e dinheiro dos anunciantes. A coluna “O que aconteceu com a blogosfera brasileira?” gerou um necessário e maravilhoso debate.

Além do tema ser amplamente discutido nas redes sociais, alguns blogs participaram da reflexão e postaram em suas páginas opiniões sobre a minha opinião. Pra manter ~a mesa redonda virtual~ viva, fiz aqui um apanhado de alguns pontos e visões publicadas em blogs ou caixas de comentário por aí. Outras tantas opiniões muito válidas podem ser encontradas a partir do blogs e comments que eu linko aqui. Quem tem interesse no assunto tem aí a chance de fazer uma verdadeira imersão. Eu recomendo!

 

Clique pra continuar lendo

O que aconteceu com a blogosfera brasileira?

por BIA GRANJA | 3 fevereiro 2015

youtubersandcid

Lembro quando, no ano passado, o Cid do Não Salvo, após ganhar mais uma vez o prêmio de blog do ano no youPIX, comentou comigo que o Não Salvo é a resistência. O que ele quis dizer é que, em uma premiação inundada de influentes que tem no vídeo seu principal formato criativo e de distribuição, ele é um dos únicos premiados que vem de outro ecossistema, a blogosfera.

E ele tem razão. Dos grandes nomes superstars da internet hoje, daqueles que tem uma legião de fãs que os cercam em eventos querendo selfies e autógrafos e protagonizam cenas “fã-ídolo” daquelas que a gente só via rolando com artistas de TV ou do rock, o Cid é o único que não é youtuber.

Não estou falando que o blog vai morrer, que quem bloga não tem relevância ou nada disso. Só estou dizendo que, desde que o Youtube entrou na jogada como ferramenta de expressão, os blogueiros perderam uma grande parte de sua grandeza e, em alguns casos, seu propósito. Clique pra continuar lendo