2014 e a vitória da egolatria, do Twitter e dos haters

por Wagner Martins | 15 dezembro 2014

me_ego

Em 2014 eu li, assisti, cliquei ou ouvi em algum lugar que saudade não é apenas um sentimento de apego a algo bom que aconteceu no passado. Também pode se aplicar a um apego a algo que poderia ter acontecido, mas não aconteceu.

Domingo, 13 de Julho deste ano bipolar, poderia ter levado a internet para um outro nível. O Brasil, hexacampeão, em cima da Argentina, exorcizando com classe o demônio de 1950 e gerando o maior #chupa já visto no Twitter. Twitter que, de longe, foi a rede que protagonizou a festa. E depois de uma Copa dessas ainda dizem que Twitter está morrendo. Foi por pouco, Twitter. Um vento sudoeste que bateu do nada e estragou a festa.

Um outro domingo, 5 de outubro deste ano verborrágico, poderia ter levado a internet para um outro nível. O Brasil, que ainda engatinha nos conceitos de democracia, poderia ter dado mais votos para Eduardo Jorge. As discussões de Facebook poderiam ter levado ao segundo turno um candidato com um compromisso de rediscutir o modelo político com o qual estamos comprometidos. De responder de peito aberto a todos os “haters” que tanto poluíram a rede com imbecilidades. Um candidato que não recebeu apoio ou financiamento de grupos de mídia tradicionais, apenas de alguns loucos da internet. A discussão foi boa, Facebook. E te agradeço muito por ter me feito descobrir amigos que pensam igual e outros que pensam diferente de mim. Foi por pouco, Face. Mas, sem dúvidas, as eleições foram suas. Clique pra continuar lendo

Estar no Facebook é o maior símbolo de submissão ao status quo que temos hoje

por Ana Freitas | 15 dezembro 2014

Não ter Facebook é passar atestado de weirdo, como costumava ser quando alguém se recusava a comer no McDonald’s por julgá-los imperialistas opressores.

facebook_somostodoscordeiros
#SomosTodosCordeiros

 

Quando eu estava no colégio, o maior ato rebelde que uma adolescente de condomínio como eu podia cometer era se vestir de preto e usar broches da anarquia, anti-McDonalds e anti-Bush. Se eu fosse uma adolescente nos anos 2010, o jeito mais eficiente e contundente de me posicionar ~contra o sistema~ seria ficar de fora do Facebook. Sendo assim, por que não vemos uma porção de jovens rebeldes saindo da rede social? Por que essa medida não é tão popular?

Não existe hoje símbolo maior de submissão ao status quo do que pertencer ao Facebook (e tá tudo bem). Estar no Facebook é assinar um contrato que garante a entrega informações pessoais de extensão inestimável, mas valor perfeitamente estimável, sobre a sua vida em troca do uso de um serviço de mensagens, produção e consumo de conteúdo. Nada pode ser mais ‘soldado do sistema’ do que isso. Clique pra continuar lendo

Facebook nega que dedura quem você adicionou no WhatsApp

por BIA GRANJA | 12 dezembro 2014

deduranao

Publicamos ontem o documentário “E agora que o Facebook dedura quem você adicionou no Whatsapp” – assista aqui – da galera do Na Rua contando sobre como as pessoas com quem você fala no WhatsApp passaram a aparecer como “amigo sugerido” no Facebook.

O documentário trazia depoimentos de usuários e quando o publicamos aqui no youPIX e em nossas redes sociais, MUITA GENTE relatou que isso já aconteceu com elas também: elas adicionam alguém no Whatsapp e, do nada, a pessoa aparece no Facebook, que é dono do zapzap. Porém, mesmo após relatos de inúmeros usuários, recebemos uma nota oficial do Facebook dizendo que isso não é um fato. Aí vai a nota na íntegra: Clique pra continuar lendo

Mark Zuckerberg, o próprio, responde por que não existe um botão dislike no Facebook

por BIA GRANJA | 12 dezembro 2014

Quando teremos botão de dislike? O Facebook é uma perda de tempo? Mark Zuckerberg respondeu à essas e outras questões polêmicas dos usuários ontem no FB Q&A.

zucker_dislikebotao

 

Ontem o Markinho Zuckerberg participou da 2a edição do Facebook Q&A ao vivo, uma espécie de honra que o criador da rede social nos dá 1 vez por ano ao responder alguns dos maiores questionamentos dos usuários do site.

As perguntas são enviadas em vídeo e aquelas mais votadas pelos usuários são feitas pro criador. A seguir você vê algumas das respostas de Markinho pra coisas como: Quando teremos botão de dislike? O Facebook é uma perda de tempo? Clique pra continuar lendo

Perfil de Zuckerberg é o novo scrapbook da Katilce

por Ana Freitas | 12 dezembro 2014

bonde

Tem algo de esquisito acontecendo no perfil de Mark Zuckerberg no Facebook. Não se sabe exatamente porque, mas um bando de usuários brasileiros decidiram dar ao fundados do ~Face um gostinho do hue hue br. Desde o início da tarde desta sexta, posts como um em que Mark se declara vegetariano, o post que marca seu casamento e até esse, aqui embaixo, em que ele declara ser um doador de orgãos, estão sendo bombardeados com comentários de brasileiros frenéticos. Na verdade, uma olhada rápida pelo perfil dele vai mostrar que poucos posts escapam. As mensagens, a maioria fotorrespostas, não têm unidade nem fazem nenhum sentido, como só a boa zuera nacional consegue fazer. Clique pra continuar lendo

Coitada da TV

por ROSANA HERMANN | 10 dezembro 2014

Para onde vai a TV? O que vai acontecer com essa indústria quando todos (ou quase) os habitantes do planeta estiverem conectados na Internet? Vamos conviver com todas as telas, vamos produzir nossas emissoras, vamos comprar espaço baratinho? Ou as emissoras vão voltar a transmitir tudo ao vivo, como antes de existir o “Video Tape”? Por que tantos fazem vídeos verticais? Não sei as respostas, mas adoro pensar nessas perguntas.

tvexplode

Video Tape. Tssc. Não tem mais “tape”, não tem fita, não tem suporte material. Vídeo tem, mas é arquivo digital; captado, veiculado, arquivado, compartilhado, reproduzido digitalmente. O que ficou foi o hábito de dizer “Roda o VT” na TV. A materialidade está desaparecendo, como as publicações em papel, as fotos impressas, a música e o vídeo em mídias plásticas. Até o dinheiro virou imaterial: seu salário cai no banco e aparece como um valor em sua tela, pra você transacionar na mesma tela ou pagar com cartões de plástico com chip. Ninguém vê mais a cor do dinheiro.

Na era A.I., antes da Internet, existiu a Monarquia da TV, quando a televisão aberta reinava soberana, majestosa, como uma Rainha de Copas que cortava a cabeça de quem não a obedecia. Hoje, a TV aberta é que está sendo decapitada pela guilhotina da concorrência, preterida e relegada a segundo plano, ou melhor, segunda tela.

Sim, sim, a TV no Brasil ainda tem reconhecimento e poder, é reverenciada por seus súditos, dominada por famílias da realeza. Porém, a TV no Brasil virou uma Rainha da Inglaterra. Não que seja só pra inglês ver, porque são milhões de brasileiros que assistem TV todos os dias, mas há outras siglas de 2 caracteres competindo com ela o tempo todo. A TV divide espaço com o FB, o IG e o YT.

O Facebook ainda é um misto de mural com email aberto, cheio de PPTs em anexo, sempre fazendo de tudo para incentivar sua plataforma de vídeos. O problema do Facebook é sua missão. Enquanto o Google quer ser o maior buscador, que rastreia, organiza e oferece em forma de resultados ordenados, toda a informação do mundo, o Facebook quer apenas dominar o mundo. Ou melhor, ser dono do mundo, pra poder loteá-lo e alugá-lo pra toda gente. O FB é o centro das atenções, mas ainda não compete com a TV.

Clique pra continuar lendo no Medium >>>

 

E agora que o Facebook dedura quem você adicionou no Whatsapp?

por youPIX | 10 dezembro 2014

facebookdedura

O Facebook comprou o WhatsApp e um dos movimentos de integração fez com que as pessoas com quem você fala no app de mensagens apareçam na rede social como “amigos sugeridos”.

“Ué, qual o problema disso, youPIX?”, você pergunta.

Pois é, pensando rápido não tem. Mas pensa que o Facebook é nossa casa digital, é onde estão nossos pais, irmãos, amigos, chefe, galera do trampo, da escola… enfim, nossa vida está ali sendo vigiada acompanhada por todos publicamente. Já o WhatsApp não. Ele fica escondido no nosso celular, que tem senha pra entrar (né?) e o que você faz ali acaba sendo muito mais íntimo e privado, certo? Nem sempre você quer que sua vida ~compartilhável~ se misture com a que você quer manter só pra você.

Os motivos? Tinder, contatos casuais, ou profissionais… enfim, cada um tem o seu, né migos?! :)

O pessoal do Na Rua resolveu perguntar pra galera o que eles acham disso tudo e o resultado é o documentário abaixo, que traz um monte de motivos, reclamações e algumas reflexões sobre isso tudo. Dá o play! Clique pra continuar lendo

Quantidade de vídeos do Facebook já ultrapassou os do Youtube na rede social

por BIA GRANJA | 10 dezembro 2014

grafico_videosyoutubefacebook

Essa briga entre Facebook e Youtube pra ver quem é o rei supremo do reino dos vídeos online já tá virando uma novela, né? Previously on “The Facebook and Youtube War”….

E agora acaba de ser divulgado um novo capítulo bombástico dessa novela… Clique pra continuar lendo

Retrospectiva 2014: Facebook lançou sua retrospectiva oficial e só tem vídeo

por LEO MAIA | 9 dezembro 2014

Saiu a retrospectiva do Facebook (vídeo acima) e como a gente já poderia imaginar o destaque foi para o conteúdo em vídeo publicado na rede em 2014, que começou com o Desafio do Balde de Gelo e atraiu várias celebridades para compartilharem seus vídeos nas páginas da rede — depois teve teve copa, várias versões com dancinhas de Happy, performances e paródias de Let It Go.

Inclusive, esse novo foco em vídeos é um dos temas mais polêmicos de 2014 na rede, mudou MUITO a cara da nossa timeline e deu início a uma briga entre o Facebook e o Youtube pela liderança no assunto.

A rede social também se despediu de Robbie Williams, Joan Rivers e ficou mais apaixonada pela Beyoncé que lançou um álbum surpresa todo em vídeo! Gente de vários países foram às urnas votar, mas também estiveram nas ruas levantando cartazes e lutando por seus direitos, fazendo de 2014 um ano de protestos. A internet também tentou entender o que estava acontecendo na Faixa de Gaza e descobriu histórias emocionantes de pessoas separadas pela guerra.

O Facebook também deu destaque para Malala Yousafza, a menina paquistanesa que enfrentou o Taliban para defender a educação feminina e os direitos humanos — Malala já recebeu vários prêmios e esse ano recebe também o Nobel da Paz. Falando em ativismo, Emma Watson também ganhou destaque depois de discursas sobre feminismo na ONU, aliás esse foi o ano que o feminismo foi discutido com mais força em todo o mundo.

Até agora comentei de forma geral o que foi apresentado em vídeo pelo Facebook, mas a rede também divulgou algumas coisas que marcaram 2014 na rede social. Olha só:

Clique pra continuar lendo

Facebook arregou: vídeos do Youtube voltam a ser exibidos na timeline

por BIA GRANJA | 8 dezembro 2014

zuckesarrependido

The Treta has been planted!

Facebook e Youtube estão brigando pela hegemonia dos vídeos online. Já fizemos diversas matérias sobre isso aqui: o vídeo é o novo texto na internet, o Facebook tá interessado nesse mercado milionário e passou a valorizar esse tipo de conteúdo em sua timeline, instalou o autoplay, ultrapassou o Youtube em 1 bilhão de views, deixou o Youtube tenso, bloqueou a reprodução automática de vídeos do Youtube na rede social, deixou todo mundo puto pra caramba e…. acaba de voltar atrás.

De acordo com nota enviada pela rede social pro Meio & Mensagem, o Facebook não fez de propósito: “houve um problema técnico que impediu alguns usuários de visualizarem os vídeos externos diretamente em seu feed de notícias”.

Hein?

Foi o próprio Facebook Brasil que confirmou ao AdNews que os vídeos não nativos (não postados diretamente na rede social) iriam ter sua reprodução restringida dentro da rede social, em uma medida que visava melhorar a experiência do usuário com conteúdo.

Bom, seja como for, Markinho acaba de pedir perdão pelo vacilo e já liberou os vídeos do Youtube de novo na timeline. Apareceu aí pra você?