RETROSPECTIVA 2011: AS GÍRIAS E TERMOS QUE MARCARAM O ANO

por Kaluan Bernardo | 6 dezembro 2011

Continuando nossas retrospectivas do ano, já percebemos que 2011 foi um ano bem maior do que parece. Muita coisa aconteceu e, principalmente, mudou. A maior parte dessas mudanças foi no nosso linguajar e no jeito de nos comunicarmos. É claro que tudo isso a gente deve pra essa coisa magavilhosa que é a internet <3

Nós acreditamos que o mais interessante seria levantar não só os principais bordões e gírias do ano. Mas, também os termos que mais marcaram e representam o que aconteceu e mudou na nossa internet esse ano. Em 2011 muitos termos ganharam uma força fenomenal e chegaram a representar movimentos, tendências e comportamentos wébicos. É isso o que nos interessa. Mas, é claro que as gírias também não ficaram de fora.

Também teve muita coisa grande, que conseguiu ser resumida por alguns temos novos e que vão ficar ainda muito tempo entre nós. Então, vem com a gente lembrar quais foram os principais termos e gírias de 2011 :D

// MEME

Definitivamente, 2011 foi o ano do meme! Apesar de já existirem memes na internet em tempos pré-2011, foi apenas neste ano que o pessoal adotou o termo pra se referir a tudo o que se espalhava e repetia na internet ganhando contextos novos (veja aqui tudo o que você precisa saber sobre o assunto). O interesse pelo assunto foi tanto, que nasceram iniciativas pra estudar, discutir e explicar esses memes, como por exemplo, a Memepedia do youPIX, focada na produção memética brazuca.

Os memes mais populares? Com certeza as tirinhas estilo Rage Face (Troll Face, Fuck Yeah, Forever Alone, etc), imortalizadas em blogs como Ah Negão e Não Intendo e outros milhões que viram seus acessos crescerem tanto quanto a quantidade de rage faces à disposição no mundo wébico. Não dá pra medir, mas apostamos que, por conta disso, nunca se produziu tantos quadrinhos e tirinhas no Brasil.

Muita gente defende que meme é só besteirol e que não deviamos dar tanta ênfase pra isso. Mas pra gente aqui do youPIX, eles são a materialização dos conceitos de democracia, colaboração e liberdade de expressão trazidos pela web. Sem participação das pessoas, o meme não aconteceria e essa é a melhor parte disso tudo: o poder de construir uma nova cultura nas mãos das pessoas. O interesse por memes cresceu absurdamente esse ano, olha aí:

      // MAMILOS

Chegou a hora de falarmos de um assunto muito polêmico! Mamééééélos entrando para o hall da fama de 2011 heim? O vídeo do garoto excêntrico, despirocando com seu peitinho, foi um dos mais assistidos da web brasileira. Mas, ele virou meme e foi além. Bizarramente o garoto conseguiu transformar um negócio tão simples como um mamilo em sinônimo de “assunto polêmico”. E a coisa saiu mesmo da internet para o mundo offline, sendo até citado em programas de televisão, como o CQC. Olha só como a procura por mamilos aumentou no Google:

Não só no Google os mamilos bombaram. Segundo o Topsy, o termo já foi citado mais de 51 mil vezes. Seria essa memetização tão grande de um vídeo nonsense a prova da nossa paixão por coisa tosca na internet? Por que será que nós gostamos tanto de coisas toscas? Tem uma matéria nossaque fala sobre isso :-)

      // TROLL

Nunca se trollou, ou pelo menos tentou-se trollar tanto. O termo já era usado e conhecido na internet há alguns anos, mas em 2o11 ele chegou em todo mundo. Os trolls foram xingados, defendidos e discutidos. Eles ganharam vida e se viralizaram na alma de cada jovem, que agora conhece o seu lado negro da força.

Inclusive entre as Rage Faces, um dos mais famosos sem dúvida foi quem? O Troll Face Guy! Ele foi usado não só em piadinhas wébicas, mas saiu para o mundo offline e apareceu até em protestos. É quase a foto do Che Guevara do século XXI. As pesquisas no Google por troll cresceram bizarramente/absurdamente esse ano também.

Não tem jeito. Agora as pessoas agora querem ser trolls. É um orgulho poder dizer que você trollou algúem. Enquanto antigamente ser chamado de troll era uma baita ofensa, hoje tem um monte de gente que se orgulha de ser troll. Isso é um fato mundial, mas no Brasil tem algumas características diferentes, como a gente discute nessa matéria.

PS: Sabe de onde veio esse termo?

// TODOS CHORA

O Todos Chora foi interessante porque não se tornou só um bordão, mas trouxe todo um jeito novo de escrever errado na internet. E o que teve de gente desligada corrigindo os jovenzinhos que falavam “todos ri” e coisas do tipo heim? N0 fundo, serviu também pra botar lenha na fogueira daquela velha discussão de “mimimi estão matando a língua portuguesa“.

Só sabemos que entre os defensores do Português todos chora ao ver essas 98 milvezes que usaram o bordão no Twitter. E também todos se desespera ao ver como, provavelmente, o Todos chora parece que não vai sobreviver muito em 2012:

// ORKUTIZAÇÃO

Outro assunto que levantou muitos mamilos em 2011. A palavra orkutização consegue resumir, de forma bem simples, um dos principais preconceitos que encontramos na internet: o da inclusão digital. Mesmo a internet sendo um espaço teoricamente livre e democrático as pessoas ficam resmungando de comportamentos “estranhos” de terceiros. Com a popularização do Facebook e o declínio do Orkut, as pessoas associaram a antiga rede social mais popular do Brasil à “gente tosca usando a internet”.

A discussão é longa. Por que esse preconceito? Ele é reflexo de vários preconceitos que já trazemos da vida offline? Ou realmente a chamada orkutização é uma coisa tensa que atrapalha a vida das pessoas? Será que não dá pra convivermos em paz uns com os outros nem nas redes sociais? A inclusão digital deve ser incentivada?

Essas foram só algumas das principais questões sobre esse assunto, que é um dos mais importantes e polêmicos do ano. Nós aqui do youPIX temos algumas matérias sobre o assunto (veja aqui). Pra quem quiser ir além, também vale assistir o debate bem legal sobre orkutização, que fizemos no último youPIX Festival. Curioso é que, modéstia à parte, depois desse debate que fizemos é que as procuras pelo assunto no Google aumentaram, olha só:

      //DIGDIN/ SOU FODA

A-vassalador, um cara interessante! (pronto, aposto que você já tá cantando o resto da música na sua cabeça) O Sou Foda também foi um dos vídeos mais assistidos do ano, viralizando absurdamente. Quem estava no youPIX Festival de abril sabe como o Vitinho (o garoto que canta a música) se tornou uma das maiores webcelebs brasileiras e como essa música anda sendo cantada por aí.

O clipe do Sou Foda resume bem todo o conceito de como gostamos de vídeos toscos. A música e sua letra também foram bem além de uma panelinha wébica. Os Avassaladores fizeram vários shows, foram para a TV e, se bobear, você pode ver até a sua mãe dizendo dig din dig din dig din. Mais dados que provam o tamanho do negócio: 104 mil menções de “sou foda” no Twitter Interessante também é ver como um dos maiores virais do ano (o vídeo já acumula mais de 11 milhões de views) é um dos que mais tem dislike no YouTube brasileiro (mais de 15 mil). Será que é por que nós gostamos de odiar as coisas?

// CURTIR

2011 também foi o ano em que o Facebook mais cresceu, principalmente no Brasil. A rede social mais usada do mundo, estampou a capa de várias revistas grandes, ganhou milhares de brasileiros e já faz parte do dia a dia de muita gente por aqui. O Facebook desbancou de vez o Orkut e se tornou a principal rede social do Brasil.

É claro que isso significa que o nosso jeito de agir na internet mudou bastante. O Facebook tem um botão que acabou se tornando quase um símbolo. Não é o cutucar! O Curtir acabou representando qualquer coisa que as pessoas aprovassem, concordassem e apoiassem. Dá pra dizer fácil que nunca se curtiu tanto quanto esse ano. Se você parar pra pensar, é meio estranho esse lance de curtir. Até hoje ninguém sabe definir certo o que significa o curtir. Só sabemos que estamos cada vez mais interessados nisso:

      // OCCUPY

Esse ano foi um dos que mais explodiram revoluções também. Tivemos a primavera árabe, protestos ao redor do mundo inteiro e… o Occupy Everywhere, movimento que começou nos EUA para lutar contra as desigualdades sociais. Acontece que isso essa luta se espalhou peloplaneta e ganhou uma proporção imensa na internet.

“Occupy ____” se tornou sinônimo de luta e de revolta contra qualquer sistema. Hacktivismo, Anonymous, LulzSec, tuitaços, hashtags, tudo isso dá pra ser resumido nos Occupy da vida. É um termo que dá pra resumir bem como, com a internet, as pessoas estão lutando pelo que elas querem.

Esse é um assunto que também foi muito discutido pela grande mídia durante o ano. As revoluções e revoltas irão partir todas da internet agora? A revolução do sofá funciona? Será que daqui pra frente o povo terá mais voz? Enquanto isso, vamos acopanhando ;)

// FICA, VAI TER BOLO!

Além de ser um dos tumblrs do ano, esse com certeza foi um dos melhores bordões também. A @nairbello e a @hebecamargo conseguiram ressucitar o melhor argumento que sua tia usava em gíria descolada de internet.

O melhor do “Fica, vai ter bolo!” é que ele conseguiu ser um dos memes brasileiros mais versáteis e bem humorados :) Olha só como o meme cresceu esse ano:

      // POHAN/BONS DRINKS/HAVIA BOATOS DE QUE EU ESTAVA NA PIOR…

OMG! A Luisa Marillac conseguiu bater todos os recordes wébicos e emplacou 3 memes em um único vídeo! O travesti mais famoso da internet conseguiu fazer com que ninguém mais falasse apenas “drinks” ; que um dos palavrões mais populares da nossa língua fosse substituído; e que seus bordões também fosse usados pra caramba no mundo offline, principalmente pela MTV. Pohan…… Olha só como a Luisa Marilac bombou esse ano:

Quem escreveu:

Kaluan Bernardo / @kaluan_

Eu era rico e famoso.... até conhecer a internet.
veja + posts do autor

Comentários:

“memepedia”