INFOGRÁFICO PROVA QUE VÍCIO NA INTERNET EXISTE SIM E HÁ TRATAMENTO

por youPIX | 12 março 2013

Não consegue passar mais de um dia sem checar o Facebook? Visita com frequência mais de uma rede social? Tem TOC em ficar checando e-mail a toda hora? Fica horas brincando de online gaming? Tá com dor no pescoço de tanto olhar pro celular respondendo às mensagens de WhatsApp? Se a resposta for afirmativa a pelo menos duas dessas questões, então, deixa eu te contar uma coisa: há grandes chances que você sofra de IAD, também conhecida como Internet Addiction Disorder. Em bom português: viciadão na webz, mano.

E sim, cada vez mais a ciência está entendendo isso como uma doença séria, pesquisada agora com intensidade por grupos de estudos psiquiátricos. Afinal de contas, vício é todo e qualquer hábito repetitivo que degenera ou causa algum prejuízo a quem é viciado e às pessoas próximas. Confira os dados mais assustadores.

CENÁRIO

Um infográfico publicado pela Maps of the World busca em várias fontes os dados que constatam coisas alarmantes. Tais como:

  • 75% das pessoas afirmam que ficam mais tempo online do que sua intenção inicial quando se conectam.
  • 41% delas disseram que passam mais tempo online do que convivendo com outras pessoas fora da internet.
  • 50% das pessoas admitiram que perdem o sono graças ao tempo que ficam conectadas.
  • 41% admitiram ser viciados no Facebook.

 

 

SINTOMAS

E mais, uso excessivo de internet pode causar:

  • Perda da noção de tempo
  • Isolamento social e fadiga
  • Depressão quando o computador (ou celular, tablet…) não está acessível
  • Necessidade sempre de comprar melhores equipamentos (computadores, tablets, celulares)<

 

PROBLEMA GERACIONAL?

Naturalmente, como era de imaginar, as faixas etárias mais sugadas pelas maravilhas da rede mundial de computadores são sempre as mais jovens. Pessoas entre 54 e 64 anos são as que menos se sentem viciada pela interwebz. Mas, e isso é bem curioso, na faixa acima dos 65, esse vício tende a ser bem maior: 44% dos pesquisados foram “diagnosticados” com IAD.

 

 

AS “DORGAS” MAIS PESADAS

A coisa complica ainda mais quando entra no campo dos games. E isso vale tanto pra turma do World of Warcraft quanto pra galera do Songpop. Os casos drásticos do povo viciadão em games costumam sempre chegar com alarde na mídia: em 2009, Daniel Petric, de 17 anos, matou seus pais porque eles confiscaram o Halo 3 do menino. Em 2010, um casal sul-coreano deixou sua bebê morrer de fome (morrer MESMO!) porque passaram a noite numa lanhouse jogando e esqueceram do tempo. E por aí vai…

Aliás, no Japão, foi criada uma lei que coloca um limite para a quantidade de dinheiro que jovens abaixo de 15 anos podem gastar por mês em online gaming.

Outros vícios da webz que deixam as pessoas com crise de abstinência são:

  • Pornôs, claro (e 12% dos websites do mundo são de conteúdo pornográfico!!!)
  • Jogos de apostas, aquelas que envolvem dinheiro de verdade.

 

 

TCHAU PRODUTIVIDADE

O vício é tão grande que, claro, isso já começa a afetar a produtividade da galera (ou vai dizer que você aí já não parou tudo que tinha pra fazer no trabalho pra ficar vendo vídeo de cabra que canta, de gatinhos ou bebês?)

Nos Estados Unidos, se descobriu que 24% do tempo gasto dentro do trabalho vai para o chamado cyberloafing, aquele tempinho que você gasta na firrrrma usando a internet para qualquer coisa, menos para sua funções ali dentro (também conhecido como “goldbricking”, caso você esteja aí fingindo estar trabalhando enquanto, na verdade, tá aqui passeando pelo youPIX porque nós somos muito legais mesmo).

 

 

TRATAMENTO

Tá achando que tudo isso é balela? Pois saiba você que já existe nos Estados Unidos até mesmo um centro de rehab para quem sofre de Internet Addiction Disorder, criado em 2009, e na Inglaterra há um outro centro de reabilitação para crianças (!!!) viciadas na webz.

Mas claro, longe desses centros, se você (ou sua família e amigos) acham que esse vício já passou dos limites, recomendado mesmo é marcar pra ontem uma consulta com um psiquiatra. Seu vício será tratamento como qualquer outro que demonstre em você uma necessidade compulsiva de estar sempre conectado.

Confira abaixo o infográfico completo:

Quem escreveu:

youPIX / @youpix

cultura de internet, pessoas e pixels
veja + posts do autor

Comentários: